24.12.07

418

estou cansado de construir um mundo segundo a minha mente

estou cansado de viver condenado a me mover eternamente

sou velho

sempre o fui

e imaturo

sempre o serei

não sei quando virá a morte

mas quando vier será só uma confirmação

de que já estou morto

e de que morro de medo do que já sou

não surjo não existo não sou visível

não sei nem mesmo como se dá este fenômeno de me crerem aqui

de eu me crer aqui

não tenho expressão alguma

muito menos inteligência

ou emoção

ou prazer

ou desejo de ter qualquer dessas coisas

só queria esquecer

da vida de mim dos outros do amor da paz do ódio da beleza

enterrem-me

enterrem-me bem fundo no meio do mundo

ou me deixem por aí para feder

tanto faz

seja a fedentina meu legado aos que são burros bastante para me invejar

2 Comments:

Anonymous Ismália said...

Não sei porquê isso nos faz tão bem, considerarmos que somos mortos, acho que para imaginarmos que a vida é bem melhor do que isso...Seu desprezo aos que te invejam é o pior desprezo que alguém pode esperar, o desprezo daquele que se acha um nada, torna 1000 vezes nada aqueles que gostariam de ser você. Muito Bom !

27/12/07 16:12  
Blogger o amanuense said...

Obrigado, Ismália. Por sinal, bonito nome. Seja sempre bem-vinda aqui no brógui, seja para ler ou também para comentar, a favor ou contra.

29/12/07 11:03  

Postar um comentário

<< Home