28.11.06

27

tudo que sei é falar

sem humor sem graça sem prazer

repetir

pois tudo já se disse

nada de criação

nada de interesse

tão chato de escrever

pior ainda de ler

sentemos aqui e esperemos que a lápide ande

minha especialidade

esperar o que nunca

no meio tempo destruir-me inexpressivo

disseram-me que o mundo vai acabar

para que dar início à vida

tudo começa e termina à revelia

sou mais uma peça de mostruário

não acabo nem começo

fico

não por querer

pois não quero

pudesse eu mudar algo

faria com que eu não fosse eu nem ninguém mais apenas

mas que eu pudesse ser quem eu quisesse quando bem entendesse

e que não vivesse no permanente atordoamento da imutabilidade

procurando esquecer que não sei ser