20.11.06

19

mais um dia nesta vida normal

começa com um abismo

termina com um chão de pedra

entre os dois há uma queda e alguns percursos de automóvel e um escritório e o velho viver enganando para viver enganado

nada entre mim e mim

nada entre mim e nada

quero dormir

não que eu tenha perdido a esperança

mas agora acho que só tenho a esperança de um dia não ter esperança alguma

e de passar por um transplante de emoções e por um outro de conta bancária

e de por fim ter um outro nome um outro endereço uma outra vida

pois nada pior que ser condenado à pena perpétua de ser eu

pelo resto dos tempos

sem dinheiro sem expressão sem poder e abarrotado de todas as espécies possíveis e imagináveis de desejos dos melhores e dos piores

o pior é ser este fim de comédia

é mais fácil mudar o sentido de rotação do planeta que mudar isto

2 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Henrique, querido...

Estes dias ando um tanto quanto macambúzia, palavras corretas me faltam... mas voltarei aqui... eu me proponho mais coisas do que posso realizar... e parte do tempo gasto pensando bobagens, me preocupando com banalidades...


Mas pretendo passar aqui mais amiúde, mesmo que não venha a comentar o texto em si, OK? O que não significa que não os li... eu acho que seus textos têm conteúdo... uma energia catártica, algo que jorra de você...


Beijos...



Sua amiga maluquete,



Verinha Rath.

21/11/06 15:41  
Blogger o amanuense said...

Fique certa, verinha, sempre acreditarei em você, e, quando você diz que acompanha meu blog, não precisa dizer mais nada.
Beijo,
H

22/11/06 20:23  

Postar um comentário

<< Home